expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

❤ Você, pode até perder uma batalha! Mas a guerra, não vai perder! ❤

A Mulher V - Introdução

Há muito, muito tempo, as mulheres eram respeitadas e honradas. Na verdade, a reputação de um homem dependia de seu casamento com uma donzela. Éramos um prêmio a ser conquistado.

A maneira como nos vestíamos, falávamos e nos comportávamos dizia tudo. Éramos exclusivas. Costumávamos ser atraentes por causa da nossa discrição, não por causa de nossas roupas.


Certamente, muitas pessoas vão dizer que as mulheres do passado não tinham a maioria das coisas que temos hoje, e elas estão certas; mas uma coisa que elas tinham e que nos falta hoje é valor. Elas eram valorizadas.

Podemos até ter conquistado muita coisa nas últimas décadas, mas também perdemos muito; e nos sentimos como um objeto que perdeu o valor, e se tornou barato, comum e sem importância.

As mulheres perderam a sua essência feminina, a beleza que era vista até no jeito como andavam. Por alguma razão, agora os padrões de beleza são completamente diferentes; o que importa é a aparência.

Se você não acompanha a moda, não é bonita. A indústria da beleza (isso mesmo, existe uma indústria) ensina as pessoas a não se importarem com o que você é, a pessoa que está por baixo da sua pele. E, por isso, você só se sente valorizada se estiver atraente. E, como todas nós sabemos, a aparência não dura para sempre; o tempo sugará a sua beleza até que você se sinta desvalorizada e esquecida.

Não é exatamente isto o que acontece diante dos olhos de todo mundo? Celebridades que eram amadas e admiradas são rapidamente esquecidas à medida que envelhecem ou ganham peso. Algumas celebridades se dedicam às obras de caridade a fim de serem amadas apenas pela fama que possuem, mas também pelas coisas que fazem. Mas elas também são esquecidas, elas também sofrem as conseqüências da desvalorização feminina.

Seus maridos não pensam duas vezes antes de terem um caso; seus filhos não veem a hora de sair de casa; suas amigas têm uma quedinha por espalhar fofocas a seu respeito; seus parentes fazem de tudo para tirar proveito do sucesso que têm; e ainda há aqueles fãs que se decepcionam com algo que disseram. Tudo porque são celebridades.

Se as mulheres que são as mais amadas e as mais comentadas do mundo são tratadas desta maneira, o que dizer de nós? O que há de errado com as mulheres hoje em dia? Por que, depois de tudo o que já conquistamos, ainda estamos tentando conquistar aquilo de que mais precisamos?

Os homens passaram a nos ver como objetos; não mais como um prêmio, mas como um fardo. Muitos não querem se casar, não querem se comprometer com uma mulher para o resto de suas vidas - é muito chato! Outros só se comprometem por causa da posição que ocupam dentro da sociedade, porque é necessário para suas próprias carreiras!

E muitos deles nem precisam mais conquistar as mulheres; eles podem conseguir uma nova num estalar de dedos. Parece que as mulheres perderam todo o seu pudor e respeito próprio. Nos dias de hoje, elas chamam os homens para sair, elas os deixam ver mais do que o necessário, fazer mais do que precisam. Elas os deixam usá-las de graça.

E se os homens fossem os únicos a fazer pouco caso das mulheres, até seria tolerável, mas as mulheres fazem a mesma coisa. Elas não se ajudam de maneira alguma! Estão sempre olhando para os erros das outras, criticando umas as outras como se não jogassem no mesmo time. A própria mulher tem sido uma de suas piores inimigas. Duas das coisas mais comuns que você encontra entre as mulheres são fofoca e crítica — e já deu pra adivinhar sobre o que elas falam? Sobre outras mulheres! Pois bem, se as próprias mulheres não se valorizam, você acha que os homens vão valorizá-las?

Nosso pequeno e insignificante ego está sempre preguiçoso demais para se levantar e marcar a sua presença. Se você elogia um homem, rapidamente seu ego vai lá no teto; se você faz o mesmo com uma mulher, seu ego flutua um pouquinho e, então, como um balão sem gás, volta ao chão.

Temos a mídia nos oprimindo com todo o seu "poder", dado não sei por quem, dizendo às mulheres o que é bonito e o que não é. E isto é apenas um pedacinho do que as mulheres em todo o mundo passam todos os dias.

Não é de admirar que elas se sintam tão pra baixo. Não é de admirar que se contentem com o primeiro homem que se interessa por elas.

Como a mulher de hoje é diferente da mulher criada por Deus. E talvez você pense novamente em todas as coisas que conquistamos no decorrer dos anos. Mas a que custo?

Costumávamos ser bonitas por dentro e por fora. Os outros se importavam conosco. Éramos amáveis, compreensivas e delicadas. Criaturas incríveis, cuja bondade ia além de qualquer coisa neste mundo. Nossas filhas queriam ser como nós.

Hoje, é como se tivéssemos atirado nos nossos próprios pés. Queremos fazer mais, ser mais, dar mais, e acabamos sentindo a perda que tudo isso nos causa. Há mais batalhas acontecendo no mundo de uma mulher do que em qualquer outro lugar.

Os homens lutam para conquistar, enquanto as mulheres lutam para conquistar e ficar no controle. Os homens ainda podem estar solteiros depois dos 30 e, mesmo assim, não ter pressa; mas, para nós, isto significa que o tempo está se esgotando... E, na maioria das vezes, isso pode nos levar a tomar decisões erradas. E piora ainda mais com o estresse causado por praticamente tudo à nossa volta. É como se todo o mundo estivesse tentando nos atingir. Especialmente a mídia.

Não importa como vem o estresse, ele simplesmente não vem e vai, mas nos enche como se fôssemos um enorme caminhão; e, como não conseguimos suportar por muito tempo, explodimos. Explodimos com as pessoas que amamos, com estranhos no trânsito, e conosco no espelho. Nada nunca está bom o suficiente. Mas como poderia estar? Não somos boas o suficiente para nós mesmas!

Como é triste ver o quanto descemos, o quão desvalorizadas e insignificantes somos aos nossos próprios olhos, ao ponto de nos contentarmos com tão pouco. Deixamos que a mídia nos diga que estamos muito gordas, muito magras, muito cafonas, muito tímidas, inadequadas - e que o nosso quadril é muito largo. E, então, levamos suas palavras a sério e nos condenamos por isso. Gastamos todo o nosso salário tentando melhorar a nossa aparência, mas eles sempre criam algo novo, e o que temos já não é bom o suficiente.

Então, vamos e destruímos a nossa imagem com qualquer coisa que encontramos a fim de atrair os homens. Fazemos qualquer coisa, custe o que custar, não importa como, só para receber um pouco de atenção, ser notada, estar atraente, ser desejada, ser valorizada.

Mas nada disso funciona. A maneira como nos vestimos, a maneira como andamos, a maneira como falamos, a maneira como o nosso corpo se transforma contra a nossa vontade - nada está bom. E, então, ficamos fartas de tudo isso... Depois de tantas tentativas frustradas, desistimos e empurramos a vida com a barriga até que finalmente deixemos este mundo das mulheres desvalorizadas.

Seria isso uma maldição que temos de carregar de geração em geração? A avó sofreu, a mãe sofreu e as filhas estão sofrendo... Quando isso vai acabar? Será que nascemos para viver assim? Algumas de nós lutaram por mais direitos, exigiram igualdade e conquistaram muito, mas não o suficiente para mudar a maneira como nos sentimos em relação a nós mesmas... Enfrentamos dois turnos todos os dias: carreira e aparência. Sem boa aparência, a carreira fica limitada. Sem a carreira, a aparência fica limitada.

Não é que este seja um mundo dos homens; simplesmente não estamos nos adaptando a ele. Ou talvez estejamos nos preocupando com as coisas erradas...

Talvez precisemos descobrir quem exatamente temos sido para que, então, possamos nos tornar a pessoa certa.

Eu pergunto: até quando as mulheres vão continuar aceitando a degradação feminina estampada em livros, filmes, outdoors, revistas, TV, música e moda?

Quer ser respeitada? Respeite-se primeiro. Quer ser valorizada? Valorize-se primeiro. Trate-se bem, como uma dama e não como uma qualquer. Você quer atrair o homem certo? Seja a mulher certa para ele.

Algumas mulheres gostam de dizer que "todos os homens são iguais". Mas as mulheres não são assim também? Estão ficando todos iguais, com as mesmas atitudes que comprovadamente não funcionam.

Aperte aquelas roupas... Seja mais sedutora... Vista menos roupas... Ria mais alto... Seja sexy... Paquere... Seja misteriosa... Seja obstinada... Seja amarga... Caia numa armadilha. Seria essa a maneira de se valorizar?

Se aparência fosse sinônimo de valor, então por que todas essas celebridades lindas, de corpo escultural e sexy são tão infelizes na vida sentimental?

Quando bebê, você queria que suas necessidades fossem atendidas. Quando criança, pedia para ser mimada. Quando adolescente, implorava por atenção. Agora, como mulher, você quer ser valorizada.

Todo mundo quer ser valorizado. Não importa a sua idade, a sua origem, ou quem seja.

O único jeito de você ser valorizada é entender o que o verdadeiro valor significa e como possuí-lo para se tornar uma Mulher V. Agora, vamos descobrir o que quer dizer esse V.

(A Mulher V, por Cristiane Cardoso)

Sem comentários:

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...